13 jun 2016

Babá ou escolinha: qual a melhor opção do ponto de vista médico?

Por Dra. Maria Fernanda Giacomin

Babá ou escolinha, qual a melhor opção? Já adianto que está é uma decisão muito pessoal, sem certos e errados. O que funciona para uma família pode não dar certo para outra e, às vezes, a diferença de conduta pode variar até entre o primeiro e segundo filhos.

Pessoalmente, acredito que muita coisa deve ser considerada, mas principalmente a realidade da família no momento da escolha e aquilo que seu coração de mãe e pai se sentem tranquilos e confortáveis em fazer.

Essa semana será dedicada ao tema “babá x escola” e, por isso, pedi à nossa colunista pediátrica, a Dra. Maria Fernanda Giacomin, que introduzisse o assunto, apresentando, do ponto de vista médico, quais os prós e contras das duas opções.

20160613_Babá_ou_escolinha_qual_a_melhor_opção

Nas palavras da Dra. Maria Fernanda, escolher entre babá ou escola não é uma regra. Às vezes é preciso experimentar, saber se a criança vai se adaptar e qual opção vai ser melhor para o crescimento e desenvolvimento dela.

Escolinha

Uma das vantagens da escolinha é a estimulação da criança através de atividades programadas, principalmente na fase de 2 a 3 anos de idade. As atividades são direcionadas e adequadas à cada faixa etária, o que é ótimo para a criança.

Outra vantagem é a sociabilização, mesmo considerando que, antes de 1 ano e meio, as crianças normalmente fazem atividades sozinhas ou uma ao lado da outra e não entre elas. As escolas trazem a possiblidade de interação, a experiência de um corpo pedagógico preparado para o ensino infantil e o compromisso de uma instituição legalmente responsável pelo seu filho, proporcionando segurança e confiabilidade.

A criança precisa do convívio com outras crianças para crescer, aprender limites, respeitar as diferenças e ver outros comportamentos. É função da escola, tornar o ato de conhecer criativo e prazeroso, desenvolvendo, dessa forma, a autonomia e o senso de responsabilidade dos pequenos. Isso tudo acontece através da interação e o convívio com outros.

Por outro lado, a maior desvantagem das escolas é o aumento da frequência de doenças, principalmente das que ainda não completaram 1 ano de vida. O sistema imunológico infantil está em formação até os 3 anos de idade e a escolinha pode tornar mais frequente os períodos de doença.

Outra desvantagem é o tempo de deslocamento, principalmente em cidades grandes em que o trânsito pode deixar a criança cansada e muitas vezes ter que acordar muito cedo. Para evitar atrasos e perda de tempo em congestionamento, o ideal é escolher uma escola perto de casa ou do trabalho dos pais.

Babá

Se este for o modelo escolhido, é fundamental certificar-se de que é uma pessoa com boas referências, preparada para cuidar de crianças e com jeito e paciência para a tarefa. É preciso observar sua formação para que ela esteja preparada a auxiliar no desenvolvimento da criança, principalmente para tentar suprir os estímulos que a escolinha oferece. É importante estabelecer uma boa relação e estar presente sempre.

Uma das vantagens da babá é ter uma pessoa exclusiva para o bebê, para atendê-lo prontamente, sempre que necessário.

A opção também evita deslocamentos, tempo perdido no trânsito, sendo necessário, no entanto, estabelecer horários certos com a família, que sejam vantajosos para mãe e pai poderem trabalhar.

 Além de a criança estar em um ambiente conhecido e familiar, é mais fácil controlar o contágio de doenças, com a manutenção da limpeza e limitando o contato com outras pessoas.

Uma das desvantagens é a transferência na relação com a babá. Não são raros os casos de babás que querem agir como mães e mães que temem perder o amor dos filhos para a babá. Por isso, é necessário conversar com a criança explicando que a mamãe precisa trabalhar, mas vai voltar para dar carinho e cuidar.

 Quando a babá é a única pessoa que pode ficar com o bebê na ausência da mãe, é indispensável que ela seja uma profissional dedicada e responsável. Mesmo assim, imprevistos podem acontecer e, se a babá faltar, a mãe inevitavelmente faltará no trabalho também. Babá mal escolhida ou mal treinada pode levar a sucessivas trocas, o que gera um grande desconforto para o pequeno.

Seja na escola ou com a babá, o mais importante é respeitar a idade biológica e intelectual da criança e seus relacionamentos com os amiguinhos. Por isso, não adianta ter uma babá se a criança fica diante de computador ou não desce para brincar com outras da mesma faixa etária ou na escola onde fica fechada em uma sala de aula com objetos fora de sua realidade.

Deixe um comentário