Por Fabiana Bellentani

Acho que não escolhi momento melhor para escrever esse post que agora que estou grávida do Felipe, nosso segundo filho. Tenho a experiência de 3 anos da Carolina e naturalmente minha visão para o que vem pela frente é muito diferente de antes.

20160116_6_conselhos_de_amiga_para_uma_grávida_de_primeira_viagem

Se hoje eu pudesse sentar diante de cada gravidinha de primeira viagem, de amiga para amiga eu diria o seguinte:

1. Cadastre-se em algum site informativo confiável que possa te passar informações semanais sobre sua gestação, como o Babycenter, por exemplo. A ideia não é ter orientações médicas, afinal você tem seu obstetra para isso, mas simplesmente conhecer melhor o crescimento do seu bebê.

2. Seja mãe! Procure entender o que será preciso de enxoval, o que precisará saber para cuidar de seu bebê, etc. Pesquise, converse com outras mães, veja para que serve cada coisa, o que será útil para vocês. Envolva o papai neste processo e não delegue esse trabalho a ninguém. Sempre teremos pessoas à disposição, prontas a ajudar, mas quem conhece suas necessidades e quem cuidará de seu bebê são vocês.

3. Leia o que acha que tem que ler, faça os cursos que considerar necessários, mas confie nos seus instintos e seja coerente. Faça aquilo que seu coração de mãe se sente em paz fazendo, sem preconceitos e julgamentos. No fundo, no fundo, é a prática, o dia-a-dia que construirá seu perfil de mãe e rotina não um determinado livro ou curso.

4. Saiba lidar com comentários e palpites. É natural do ser humano achar que entende bem de algo que domina e, claro, todas as mães e pais acabam dominando a arte de maternar/paternar, certo? Daí vêm os porquês de você não fazer isso ou aquilo de um determinado jeito ou de outro… Mas seja firme em seus conceitos e forma de criação. Nem sempre é fácil, mas as decisões de sua família devem ser respeitadas, independentemente de serem contrárias aos que os outros pensam. Nossa realidade é outra, nosso geração é mais independente, os conceitos médicos são inovadores e nosso jeito de criar é certamente diferente dos de outras gerações e famílias. Mostre que você sabe o que está fazendo e o que é melhor para o seu filho.

5. Não crie expectativas em seu relação ao seu bebê, não faça comparações. Não ache que seu bebê dormirá a noite toda depois de seis meses, que não terá cólicas, que pegará sozinho no sono ou que funcionará como um reloginho com mamadas a cada três horas. Nem todos são assim. Aliás, diria que poucos são. A maioria vai acordar todas as noites por mais de um ano, terá crises noturnas que te deixarão louca e precisará de um colinho para dormir. Cada bebê se desenvolve de um jeito e tem suas próprias necessidades. Aprenda com ele e, repito, faça aquilo que seu coração de mãe se sente em paz fazendo!

6. O começo da maternidade é muito cansativo, mas vale a pena cada segundo! Muita coisa muda: rotina, sono, dedicação, vida de casal, tudo! Não se importe se chorar, se se questionar, se tiver vontade de sair correndo ao mesmo tempo em que quiser segurar e proteger seu pequeno. Loucura? Total! Mas aos poucos as coisas entram nos eixos. Tenha paciência e deixe que seu novo cotidiano te mostre como as coisas funcionarão bem. Na medida do possível, respeitando suas necessidades pessoais, as de seu bebê e marido, tente se organizar da melhor maneira possível. Saiba que tudo é uma fase (ouvi essa frase muitas vezes, rezando para que a tal “fase” durasse dois ou três dias…) que vai passar. Mas lembre-se que, com ela, passam as coisas ruins e também as boas. Portanto, aproveite cada momento. Depois de alguns meses, você só terá boas lembranças e vai querer partir para o segundo! ; )

Relação de profissionais deste post

Fotografia: Carmen Fernandes (SP)

Por Fabiana Bellentani

Toda mulher grávida é naturalmente linda e manter o estilo durante a gestação não é nada difícil. Aqui vão algumas dicas simples para manter o conforto e exibir o barrigão da forma mais elegante possível!

20160224_Mantendo_o_estilo_durante_a_gravidez_11

Seja fiel ao que gosta

Não é porque nosso corpo muda que precisamos mudar também nosso guarda-roupa. Mantenha seu próprio estilo! Eu adoro calças e bermudas e vario as blusinhas entre justas e soltas. Quando engravidei não mudei meu estilo, mantive exatamente o mesmo padrão, só que com roupas de grávidas através de um guarda-roupa cápsula (em outro post falo um pouco mais sobre isso).

Saiba exibir a barriga

Quando se está no quinto, sexto ou sétimo mês de gravidez, saiba acentuar a barriga da forma correta. A linha entre ser sexy e elegante ou apenas “grande” é muito tênue. Vestidos que marcam a barriga, sejam eles justos ou com cintura acima do estômago, exibem nossas curvas de grávida de um jeito bom! As golas em corte em “V” também são ótimas!

Vista o que te deixa confortável

Se gosta de jeans, use jeans! Eu só usei roupas que me deixavam muito confortável durante a gravidez, incluindo calças e bermudas jeans. A maioria das roupas de gestantes são ajustáveis, mas, para mim, as que possuem cintura de elástico são as melhores.

Mantenha a simplicidade

Use cores sólidas na base e, se preferir, um pouco de estampas na parte de cima. Com cores escuras é mais difícil de errar!

Esses são alguns looks que usaria num piscar de olhos, seguindo as dicas acima:

20160224_Mantendo_o_estilo_durante_a_gravidez_01

20160224_Mantendo_o_estilo_durante_a_gravidez_02

20160224_Mantendo_o_estilo_durante_a_gravidez_03

20160224_Mantendo_o_estilo_durante_a_gravidez_04

20160224_Mantendo_o_estilo_durante_a_gravidez_05

20160224_Mantendo_o_estilo_durante_a_gravidez_06

Qual vocês mais gostaram? ; )

Fotos: Reprodução