5 fev 2016

Cuidados para curtir o Carnaval com as crianças com menos de 2 anos

No Carnaval do ano passado, a Carol estava com um pouco mais de 1 ano. Cheguei a levá-la ao bailinho vespertino do clube, mas ela era muito pequena para efetivamente aproveitar tudo que acontecia ao seu redor.

Ao meio de tantas outras crianças e pais, música alta, confete e serpentina espalhados por todos os lados, percebi que alguns cuidados precisam ser tomados pelas mamães e papais, principalmente com bebês e crianças até 2 anos de idade.

20160205_Cuidados_para_curtir_o_Carnaval-01

Minhas dicas são as seguintes:

  • Essa época de Carnaval é sempre muito quente, pico do verão. Por isso, o primeiro cuidado básico com toda criança ou bebê é oferecer bastante líquido, bastante mesmo!
  • Se for fantasiar o filhote, use fantasias leves. Eu, particularmente, acho que até 1 ano e meio, não há necessidade de vestir fantasias em bebês. Uma roupinha bem fresquinha e colorida é mais que suficiente para deixar a criança no clima do Carnaval, sem passar calor. Além disso, a maioria das fantasias possuem costuras e etiquetas que incomodam e podem irritar a pele. A etiqueta a gente ainda consegue cortar, mas a costura não. Com 2 anos a criança já têm uma ampla compreensão do mundo, percebe os amiguinhos fantasiados e também quer o seu “vestido de princesa”. Mas mesmo assim, procure uma fantasia tranquila de ser usada.
  • Se a música estiver muito alta, fique de longe ou pouco tempo no lugar. O bailinho do ano passado foi no salão de festas do clube, com banda ao vivo. O som estava tão alto que incomodou a mim, adulta. Sei que a maior frequência dos bailinhos é de criança mais velha, então o alto volume da banda normalmente está adequado para a festividade, mas, para crianças com menos de 2 anos, esse volume pode agredir um pouco. Avalie, então, se a criança ou bebê está bem ou incomodada. Se ficar um pouquinho distante, provavelmente o barulho será mais ameno e você conseguirá aproveitar da mesma forma!
  • Procure ficar com a criança ou bebê em um espaço menos tumultuado. Como comentei, a maior frequência dos bailinhos e bloquinhos é de criança mais velha e elas correm por todos os lados, claro! Afinal, estão brincando, super normal! Mas no meio de toda essa confusão, confetes e serpentinas enroladas e emboladas pelos pés, o ideal é não colocar os bebês que ainda não andam no chão. E os que andam, se quiserem descer, o ideal é que fiquem em um espaço menos movimentado. A dica do “ficar um pouco afastado” vale aqui também. A Carol já estava andando o ano passado e quis, porque quis, caminhar pelo salão para pegar aquele monte de coisa colorida que estava no chão. Eu praticamente tive que montar cerco em volta dela para que não fosse atropelada ou tivesse seus pezinhos ou mãozinhas pisados. Fiquei 5 minutos e a levantei do chão.
  • Respeite os horários do bebê e tenha atenção aos sinais de cansaço. Normalmente lugares muito agitados cansam os pequenos muito rápido. Lembre-se que a festinha é para eles e não para os pais. Se cansarem, é hora de recolher tudo e voltar para casa ou se afastar para um lugar tranquilo para uma boa soneca.

Bom Carnaval a todos!

Deixe um comentário