31 mar 2017

Enxoval | Poltrona de amamentação (nursery chair)

Por Fabiana Bellentani

Estou numa fase super gostosa da gravidez do Felipe que é a de decorar o quartinho dele e o novo quarto da Carol. Amo cuidar de cada detalhe pessoalmente e minha busca, no momento, tem sido pela cadeira de amamentação.

A que usei com a Carol é ótima: bom suporte para os braços e para as costas, bem confortável. Usei e ainda uso demais! Mas como a decoração do quarto dele será diferente da do dela, estava analisando se valeria mais a pena trocar a poltrona ou reformá-la (reforçar espuma e tecido). Nesse contexto, acho legal passar umas dicas para quem está procurando uma boa poltrona de amamentação, pois, sem dúvida nenhuma, essa é uma das compras mais importantes para um quarto de bebê: ter um lugar confortável para sentar.

É na poltrona que embalamos nosso bebê, amamentamos, lemos historinhas, brincamos, abraçamos e até dividimos um eventual choro às 4:00 da manhã… Resumindo, é o lugar perfeito para muito amor, muita curtição, afeto e vínculo mãe/pai e filho. É por isso que escolher a poltrona como sabedoria é fundamental!

O que considerar?

  • Existem poltronas fixas e de balanço. O movimento das de balanço ajuda a acalmar e a fazer o bebê (e a gente) a pegar no sono. Cansei de dormir na poltrona de amamentação com a Carol no colo (com o suporte da almofada de amamentação, claro) e apenas do lado dela, na fase em que precisava que alguém ficasse no quarto até pegar no sono.
  • Procure por tecido que possa ser limpo com facilidade (preferencialmente os com tratamento de impermeabilização), que não esquente (como o couro, por exemplo) e aguente bastante uso. O tecido tem que ser resistente a leite, xixi, coco, etc.
  • O apoio de braço é muito importante. Ele deve ter uma altura que te permita apoiar os braços sem esforço e deve ser espaçoso o suficiente para caber você e seu filho, desde o tamanho de bebê até uns 2, 3 anos.
  • O encosto da poltrona deve ser confortável para você e seu bebê. Eu, por exemplo, optei por um encosto alto, que fosse até a altura do pescoço, exatamente para suportar minha cabeça, caso eu pegasse no sono ou simplesmente precisasse reclinar com mais tranquilidade. Poltronas com encosto baixo não fornecem este tipo de suporte.
  • Pufe para os pés ajudam bastante, pois nos deixam numa posição mais confortável e descansam as pernas. Mas escolha um que seja largo, sem que o pé fique caindo o tempo todo de cima.

  • Considere ter uma almofada extra, pode ser no mesmo tecido da poltrona ou outro decorativo, para suporte adicional à lombar.
  • Se for possível conciliar, invista em uma poltrona que depois possa ser utilizada em outro cômodo da casa como apoio. Na minha opinião pessoal, no entanto, se o conforto superar a estética, dê preferência a ele. Digo isso porque normalmente, poltronas para serem usadas numa sala, por exemplo, costumam ter encosto baixo. Neste caso, minha preferência ainda é priorizar meu bem-estar e do meu bebê, nem que eu tenha que vender a poltrona depois.
  • Por fim, escolha uma poltrona bonita, que reflita seu gosto e combine com o quarto do bebê. Minha sugestão é usar tecidos lisos que combinam melhor outras estampas de decoração.

Deixe um comentário