17 ago 2016

Escolinha: dicas prévias à procura da escolinha/berçário ideal

Por Fabiana Bellentani

Há um tempinho atrás, falei sobre o tema “babá ou escolinha”, trazendo, inclusive, depoimento de mães que optaram por cada uma das alternativas e dicas de como escolher e entrevistar uma babá.

Como acho que a escolha da escolinha também envolve uma série de questões, até o final desta semana vou dividir com vocês tudo que pesquisei na época em que saímos em busca da escolinha para a Carolina, bem como o que recebi de dica de outras mães e passei a considerar como importante ao longo do processo de pesquisa.

Entendo que existem 4 “etapas” de considerações a serem feitas na escolha: algumas prévias (nossas expectativas em relação à escola), aquilo que deve ser observado durante a visita da escola, o que deve ser perguntado para a direção escolar e algumas considerações finais. Hoje comento um pouco sobre o que devemos pensar antes de sairmos em busca da escolinha ou berçário ideal.

Nursery teacher playing with the kids.

Tente listar suas expectativas

Antes de dar início à pesquisa, tente montar uma lista com suas expectativas em relação à escola.

Vou ser sincera: tem muita coisa que você só vai saber se quer ou não quer na educação do seu filho depois de ter visitado algumas instituições. Isso porque, sendo mãe de primeira viagem, acabamos conhecendo o funcionamento de berçários e do ensino infantil depois de passarmos por umas duas ou três apresentações de escola. Então, não se intimide se tiver que revisitar alguma instituição antes de tomar sua decisão.

Alguns tópicos para te ajudar a pensar:

1. Você precisa ou prefere um berçário ou escola que ofereça meio período e período integral? Apenas um ou outro? Quer ter a possibilidade de período estendido (6 horas)?

Saiba que alguns berçários oferecem apenas período integral, não dando a possibilidade de meio-período para os pais. Outros oferecem períodos que vão desde 4 até 12 horas.

2. Você quer uma escolinha que tenha bastante espaço para seu filho correr? Se tem um bebê, o espaço físico talvez não seja uma preocupação imediata, afinal, seu filho ainda não anda. Mas se pretende que ela continue sua educação infantil na mesma escolinha – o que é ideal para evitar nova mudança para a criança – talvez seja caso de considerar este critério na escolha.

3. A escola tem que ser perto de casa ou do trabalho? A proximidade é muito importante, principalmente para quem mora em cidades como São Paulo, em que determinadas distâncias podem levar horas para serem percorridas.

Nós criamos uma ordem de procura: priorizamos primeiro as escolas próximas à nossa casa, em seguida passaríamos às escolas próximas ao nosso escritório e, em terceiro plano, ficariam as mais distantes.

A escolinha da Carol fica a 5 minutos de carro de casa e, se for necessário, conseguimos, inclusive, ir a pé.

4. Quer escola bilíngue? Algumas famílias fazem questão.

Liste suas prioridades de acordo com a realidade da sua família.

Pesquisar bastante é fundamental

Visite várias instituições antes de escolher aquela em que matriculará seu filho. Não há número mínimo ou máximo de escolas que devem ser visitadas. Para algumas famílias, a empatia acontece logo de cara, para outras, leva algum tempo.

Para a escolha da escola da Carol, visitamos mais de 5 instituições próximas à nossa casa e acabamos decidindo pela última que conhecemos. E olha que descobrimos a escolinha em que a Carolina está hoje por uma pesquisa no Google de última hora!

Simpatizar, ter aquela primeira boa impressão é muito importante e é algo super subjetivo e pessoal. Por isso, a decisão final só deve ser tomada quando os pais estão seguros e tranquilos em relação à escolha. Essa confiança é fundamental, inclusive, para o sucesso de adaptação da criança.

Peça indicação e converse com outros pais

Antes de sair visitando mil escolas desgovernadamente, peça algumas indicações a amigas, pessoas que moram no mesmo prédio, vizinhos e conhecidos.

Aproveite o horário de entrada e saída da instituição para conhecer os pais das crianças e bebês. Converse, pergunte, tire dúvidas. Veja se gostam da escola, se têm alguma reclamação, o que acham de bom. Questione sobre método de ensino, rotina, alimentação, tudo. Nós fizemos isso com pais de outros alunos da escola da Carolina. No dia em que a vistamos, havia outras mães pegando seus bebês no berçário e questionamentos o que achavam da escola. Só tivemos boas referências!

As informações que vocês obterão dos outros pais poderão confirmar suas impressões iniciais sobre a escola.

Amanhã comento um pouquinho o que observar durante a visita às escolinhas! Espaço físico e segurança são alguns exemplos. ; )

Deixe um comentário