18 ago 2016

Escolinha: o que observar durante os contatos e visitas

Por Fabiana Bellentani

Ontem tive a oportunidade de dividir com vocês o que entendo como sendo a primeira etapa do processo de busca pela escolinha/berçário ideal para nossos filhos: a fase prévia à procura, o que esperar, indicações e pesquisas.

Hoje conto tudo que observei enquanto visitava as escolas e berçários que receberia a Carolina nos próximos 3 anos de sua vida. Veja se concordam e, se tiverem alguma dica adicional, deixem nos comentários para ajudar outras mamães e papais!

2016081_Escolinha_O_ que_observar_durante_visita

Atendimento

Algo que comecei a prestar atenção nos contatos que fazia com as escolas era o atendimento que recebia por telefone: se a pessoa era atenciosa, se tinha paciência para esclarecer dúvidas, até se sabia falar corretamente eu prestava atenção. A primeira impressão não é a que fica? Pois bem: o contato telefônico é o que vai dar a primeira impressão aos pais. Cheguei a descartar umas duas escolas apenas pela forma como fui atendida por telefone. Entendo que esse primeiro passo já mostra um pouco da organização do local e preocupação com a qualidade dos profissionais que nele trabalham.

Espaço físico e segurança

Observe o espaço físico para analisar área e segurança. Tudo deve ser adequado à idade das crianças.

Muitas escolas acabam utilizando o espaço de uma casa antiga como instalação de berçário e grupos de crianças de 1 a 3 anos. Isso não é essencialmente um problema, desde que alguns cuidados sejam tomados, principalmente com tomadas e janelas.

O escolinha em que a Carolina está teve seu prédio construído para ser escola. Isso significa que nenhuma tomada está abaixo de 1,5m de altura do chão, o pé direito é bem alto, as janelas são elevadas e enormes para permitir uma boa ventilação, as escadas possuem grades que impedem que as crianças avancem e as rampas têm corrimão em altura condizente com o tamanho dos pequenos.

Outros pontos a serem observados:

  • Se o portão da escola está sempre fechado e se há algum responsável por controlar entrada e saída
  • Se existem salas que ficam em andar superior e como é o acesso. Uma das escolinhas que visitamos, adaptou uma edícula de uma casa grande como sala para grupos maiores. A escada, no entanto, era bem estreita e íngreme. Não gostamos.
  • Se há piscina
  • Se a escola está bem conservada
  • Se existem câmeras de acesso remoto para os pais. Não é item essencial, mas foi algo que usamos muito na época em que a Carol estava no berçário. Confesso que fuxicávamos por curiosidade, para ver o que ela estava fazendo, e não por dúvida em saber se estava sendo bem tratada. Aliás, se houver essa dúvida, opte por outra instituição, claro!

Limpeza e organização

Veja se a escola é limpa e organizada: as salas, cozinha, banheiros e berçários. Na área dos bebês, veja como os objetos de cada criança ficam armazenados, se exigem etiqueta de identificação, se ficam separados, etc.

Na época do berçário, a Carol tinha seu próprio berço (não eram berços rotativos) identificado com a fotinho dela na cabeceira. O fraldário também possui nichos com o nome de cada um, onde ficam todos os itens de higiene do bebê. Nada era trocado ou emprestado.

Veja se a cozinha é limpa, arejada e de fácil acesso aos pais, caso haja interesse em visitar. Veja se existe cheiro de comida ou outro aroma (como de inseticida, por exemplo) pelo ar.

Em termos de organização, observe se não existem brinquedos ou outros objetos espalhados pelo chão e corredores da escola.

Tamanho das turmas

Não sei se o Ministério da Educação determina um número máximo de crianças por turma, mas sei que determina um número mínimo de cuidador para um determinado número de crianças. Por exemplo, nos berçários deve haver uma berçarista para cada 3 bebês. Esse número diminui quando a criança passa para o primeiro grupo da educação infantil. Deve ser de 1 professora para cada 4 crianças.

Existe atualmente meio que uma “padronização” para se ter até 12 crianças por turma. Neste caso, analise se o tamanho das salas é compatível com essa quantidade.

Comportamento das crianças e das professoras e assistentes

Ao visitar as escolinhas, observe se as crianças parecem felizes e contentes. Veja se brincam com tranquilidade, se o ambiente é amistoso. Veja como as professoras e assistentes lidam com as crianças ao brincarem ou chamarem atenção de alguém, se trabalham com um sorriso no rosto ou de cara fechada.

Amanhã passo uma lista do que deve ser perguntado à coordenação e/ou direção da escola, como método de ensino, comunicação entre pai e escola, etc. ; )

Deixe um comentário