21 mar 2016

Las Vegas com criança | Mas Las Vegas é lugar de criança?

Por Fabiana Bellentani

Em outubro de 2015 tivemos a oportunidade de fazer a primeira viagem internacional com a Carolina. Foi algo muito especial, pois não só foi sua primeira viagem para os Estados Unidos, como também foi a primeira vez que meu pai conheceu aquele país. Estávamos todos juntos, acompanhados também do meu irmão, e nosso objetivo – claro – era aproveitar ao máximo!

Diante deste contexto, nos organizamos para passar 15 dias divididos entre três diferentes destinos: Nova York, Las Vegas e Miami.

Hoje começo uma série de quatro posts sobre Las Vegas, passando todas as dicas e detalhes da nossa viagem, para que possam pensar nesta cidade como um destino perfeitamente possível com criança pequena.

20160321_Las_Vegas_com_criança_Mas_Las_Vegas_lugar_para_criança_01

Mas, afinal, Las Vegas é lugar de criança?

Eu sempre dizia que não. Antes da Carolina nascer, cansei de dizer que Las Vegas era um destino adulto, sem atrativo ou opções de passeios para os pequenos. Mas paguei a língua!

Quando estamos inseridos em um novo contexto, passamos a prestar atenção em coisas que antes não nos chamavam atenção.

Como a Carol estava com 1 ano e 9 meses, fiz questão de observar se ela seria exceção, uma das poucas crianças nos lugares onde íamos. Mas não. Me surpreendi positivamente em todos os aspectos. Havia muitas outras famílias com filhos pequenos, incluindo bebês. Os hotéis também têm ótima estrutura para recebê-los nos quartos e é possível se divertir em quase todos os lugares com eles.

O segredo é saber respeitar seus horários, principalmente os de sono, e saber que tudo será feito num ritmo mais lento. Se antes acordávamos e, em 30 minutos, estávamos prontos para passar o dia na rua, andando de um lado para outro, com a Carolina o esquema é diferente.

Todo procedimento prévio à saída do hotel, incluindo mamadeira, troca de fralda, roupas, arrumação da bolsa para passar a maior parte do dia fora, organização geral do quarto para que nenhum brinquedo se perdesse, escovação de dentes, etc. levava pouco mais de 1 hora. Almoço normalmente seguia sempre o mesmo horário, por volta das 12h00, 13h00, em lugares que efetivamente servissem refeição. Lanchinho rápido estava fora de cogitação. Passeios e visitações também eram limitados a um ou dois lugares por dia, dependendo da proximidade de um e outro e de qual era a atração.

Se forem com esse espírito, dá tudo certo! Aliás, muito certo!

Um pouco sobre Las Vegas

Para curtir tudo que Las Vegas tem a oferecer, reservamos 6 dias na cidade, para aproveitar não só a Strip (explico abaixo), como também a Hoover Dam (represa entre os estados de Nevada e Arizona), que fica bem próxima.

A diferença de fuso para o Brasil (Brasília) é de 4 horas no verão, aumentada para 5 no restante do ano.

Considerem que a cidade fica em Nevada (EUA), próxima ao Rio Colorado, e está no meio do deserto. Portanto, é bastante seca, com pouca chuva durante o ano todo. Por isso, além dos remédios regulares que levo para a Carol em viagens, tinha sempre na bolsa um umidificador nasal. Protetor solar, então, é indispensável no verão! Ambos, se não levados do Brasil, podem ser facilmente comprados em qualquer farmácia local.

Aliás, por falar em verão, entre junho e julho, a cidade “borbulha” de calor, podendo a temperatura superar os 40⁰C. E acreditem: é incrivelmente quente!

Já no inverno, entre dezembro e janeiro, a temperatura média é de 10⁰C. Minha sugestão, portanto, é que organizem a viagem para meados do primeiro ou segundo semestre do ano, pois muito calor com criança pequena não é agradável para ninguém. Ah! E tem outra vantagem: em época de temperatura mais amena – principalmente no inverno – os preços são mais baixos e a cidade mais tranquila.

A principal avenida da cidade é a Las Vegas Boulevard e a Strip (The Strip) é um pedaço dessa avenida, com aproximadamente 6km. Nela estão os principais hotéis cassino e um dos atrativos é conhecer esses megaresorts, desbravando um a um. Todos são temáticos, com decoração detalhada e charme exclusivo.

Se fosse uma viagem de casal, eu diria que é perfeitamente possível conhecer uns três hotéis por dia. Com uma criança, programe-se para conhecer no máximo dois.

E pode criança nos cassinos?

Em uma das últimas viagens que fizemos para Vegas, vimos uma placa em um dos hotéis proibindo a presença de crianças em determinadas áreas. E aí, me veio a preocupação em saber se poderíamos andar com a Carolina pelos cassinos.

Fiz, então, uma pesquisa prévia e os sites de todos os resorts têm um aviso de que menores de 18 anos não são permitidos na área de “jogatina”. O problema é que os principais hotéis são interligados por corredores de lojas e shoppings, mas para passar de um para outro, obrigatoriamente temos que caminhar pelo meio das mesas de jogos. Como conseguiríamos diante da proibição? Já estava preparada para fazer esse percurso de hotel para hotel pela rua, com a Carol no carrinho.

Quando fizemos o check-in, no entanto, perguntei como funcionava a política para crianças. Me disseram que os pequenos não podiam jogar, nem beber (pelo amor, né?). “É só isso?” perguntei. Sim! Era só isso. Poderíamos passear tranquilamente pelos cassinos, tirar fotos, etc., só não poderíamos ficar com a Carol em um caça-níquel (rs!).

Conseguimos, com isso, passear tranquilamente, em um ambiente climatizado, cheio de luzes, que divertiu à Carol, tanto quanto a nós.

Amanhã as dicas serão de planejamento: voo, seguro viagem, locação de carro e onde ficar com os pequenos.

Deixe um comentário