14 fev 2017

O primeiro trimestre da gravidez do Felipe

Por Fabiana Bellentani

Quando engravidei da Carol, ainda não tinha o blog, então nunca relatei como tinha sido meu primeiro, segundo e terceiro trimestres.

Agora, com o Felipe, não só consigo contar sobre a gestação dele, como também comparar com a da Carolina.

Primeiro_trimestre_gravidez_Felipe

Enjoos

Quando descobri a gravidez do Felipe já estava com 6 semanas. Até então eu estava bem. Quer dizer, já tinha tido uma dor de cabeça muito forte e alguns enjoos esporádicos, mas como foram concomitantes ao mal estar da dor, ainda não os relacionava à gravidez.

Na 7ª semana comi um cachorro quente que preparamos em casa e, de lá pra cá, a coisa desandou. Na noite do “fatídico” hot-dog, tive vômito e diarreia. Depois disso, fiquei até a 16ª semana com enjoos diários. Passava a manhã bem, próximo à hora do almoço tinha dor de estômago, almoçava sem problemas, salivava durante a digestão e, em seguida, vinha o enjoo que se estendia até o final do dia. Escovar o dente ou passar fio dental era um martírio. Tinha que respirar fundo para passar a escova no fundo da boca, para não estimular o vômito.

E aí todo mundo me perguntava: “E na da Carol, também foi assim?”. Não, não foi. Eu tinha, sim, enjoos, mas eram poucos. Nunca cheguei a vomitar. Agora, em compensação, vomitei tudo que podia e não podia. A parte boa, pelo menos, é que, após um tempo, o vômito passou a vir sempre depois da digestão já ter sido feita, então, quando saía alguma coisa era só água, nada de comida. Risco zero de ficar com fraqueza ou desnutrida.

Paladar

Meu paladar mudou bastante também. Eu sempre adorei comida bem temperada, com bastante cebola e alho. Desde o primeiro trimestre, no entanto, se como, fico com uma sensação ruim de mal estar estomacal. E café também saiu da lista. Tomo de manhã, misturado no leite, mas, além disso, não desce nem o descafeinado. E fruta passou a ser minha preferência em relação ao doce. Na gravidez da Carol foi a mesma coisa. Acho que por isso, inclusive, que ela gosta das mesmas frutas que eu. Comi muito na gestação dela e estou repetindo a dose na do Felipe!

Dor no abdômen

Além dos enjoos, também senti um incômodo dolorido na parte baixa do abdômen. Minha médica explicou que meus músculos já têm o “histórico” de uma gravidez e, por isso, estão se “abrindo” mais rápido agora. A dor é perfeitamente normal, mas está diretamente associada ao esforço físico. Quando ando mais, ou faço mais esforço, dói mais. Mas já aprendi a me conter e saber até onde posso ir. Na gravidez da Carol também tive essa dor, mas bem pro final, quando a barriga já estava grandona.

Barriga

Bom, por falar em barriga. Agora ela apareceu mais cedo. Na gravidez da Carol, lembro de ter viajado com aproximadamente 5 meses e ainda com minhas roupas normais. Se eu não dissesse nada, ninguém sabia que tinha um bebê ali dentro.

Dessa vez, a barriga já estava inchada com 12 semanas. Tirei minhas roupas de grávida do armário assim que percebi que os vestidos ficavam com a calcinha marcada na cintura e que as calças estavam ficando com o botão de cima aberto.

Seios

Lógico que, junto com a barriga, os seios também cresceram! Eu nunca tive peitos avantajados, mas, neste primeiro trimestre acho que já aumentaram 1/3 do que eram. Ainda estou usando minha numeração costumeira de sutiã, mas acredito que mais um pouco terei que passar para um número maior.

Na gravidez da Carol, depois de um tempo, passei a usar top de ginástica e, quando meus ombros começaram a doer por causa da pressão, fui direto para os sutiãs que depois usaria na amamentação.

Sono

Em termos de sono, com a Carol foi demais. Por enquanto, com o Felipe, até que estou bem. Acho que tive tanta coisa para fazer neste primeiro trimestre que não tive tempo de ter sono… É claro que, no final do dia, estou sempre acabada e consequentemente, durmo melhor, mas me seguro bem nas “horas de expediente” (rs!).

Xixi

Se eu ganhasse R$ 1,00 para cada vez que vou ao banheiro, estaria rica! rs! Minha frequência de idas ao banheiro aumentou consideravelmente, tanto de dia, como de noite. Não passa uma madrugada sem que acorde para fazer xixi…

Na gravidez da Carol, a frequência urinária aumentou também da metade da gestação para a frente.

O mais gostoso!

Mas sabe qual a parte mais gostosa desse primeiro trimestre? Ter a participação da Carol no processo! Ela já assumiu o papel de irmã mais velha e cuida e conversa com o Felipe já na posição de protetora. Conta histórias, explica as coisas, oferece comida, pergunta se quer brincar, etc. Estou amando essa interação!

Deixe um comentário