Por onde começar

Você passou pela gestação e parto, e agora está prestes a levar seu bebê para casa, com muito a aprender! E como bebês não vem com manual, talvez algumas dicas iniciais possam te ajudar a passar pela fase de recém-nascido com mais tranquilidade. Vamos lá?

Sono

INICIE UMA ROTINA DE SONO O QUANTO ANTES: Não existe motivo para não dar início a uma rotina de sono desde o primeiro dia do bebê em casa. Eles são capazes de assimilar rapidamente uma rotina diária e, assim, sabem qual sequencia de acontecimentos esperar. Se você, por exemplo, amamenta, canta para o bebê e o coloca no berço ou moisés (ou qual for a rotina que pretende criar), ele gradualmente aprenderá que essa sequencia de eventos significará que é hora de ir para a cama.

Ao invés de segurar o bebê nos braços até que ele adormeça, coloque-o no berço ou moisés enquanto ele ainda estiver sonolento, mas acordado. Dessa forma, as chances dele associar o moisés ou berço com a hora de dormir serão maiores.

DIFERENCIE O DIA DA NOITE: Se pretende conseguir uma boa noite de sono em um futuro próximo, tenha como meta ajudar o bebê a diferenciar o dia da noite. Isso significa expô-lo a sons e luz durante o dia e mantê-lo em um ambiente silencioso e escuro durante a noite.

Quando o bebê acordar de madrugada, não faça muito alarde, restrinja-se ao essencial: alimente-o, faça-o arrotar e coloque-o de volta no berço ou moisés. Reserve as conversas e brincadeiras para o período diurno.

DEIXE O BEBÊ DORMIR NO SEU QUARTO (ISSO NÃO SIGNIFICA NA SUA CAMA): Invista em um moisés que você possa deixar no seu quarto, ao lado da sua cama, durante as primeiras semanas. Isso não só reduz o risco da síndrome da morte súbita infantil, como também torna as mamadas noturnas menos estressantes, já que, dessa forma, você mal precisará sair da cama. Se a amamentação é feita com mamadeira, considere deixar algumas no seu quarto, se for possível.

MANTENHA O BEBÊ CONFORTÁVEL: Pais “recém-nascidos” (sim, junto com o bebê, nascem também um pai e uma mãe) têm a tendência de super aquecer o bebê. Como regra, coloque no bebê uma camada a mais de roupa que você usaria para ficar confortável. Se você se sente bem com uma camiseta, vista o bebê com um body de malha e enrole-o em uma manta leve.

O bebê também te dará algumas dicas de frio e calor: se os pezinhos estão frios, sua cabecinha está suada ou se estiver com manchinhas vermelhas pelo corpo, coloque mais ou menos roupa, conforme for adequado.

Os bebês tendem a ser um pouco mais quentes que nós, adultos. Por isso, tente manter bastante contato com a pele do bebê durante os primeiros dias para aprender qual é a sua temperatura normal.

NÃO ESPERE PERFEIÇÃO: O bebê não terá um cronograma previsível nos primeiros dias, portanto, não crie essa expectativa. Ao invés, siga o conselho que todos dão: “durma sempre que o bebê dormir”. Isso significa deixar a pia cheia de louças e tirar uma soneca, já que você não saberá quando terá a próxima oportunidade. Descansar é, sem dúvida, mais importante que qualquer limpeza durante essas primeiras semanas.

Choro

TENHA UM CHECKLIST NA CABEÇA: O período de mais choro do bebê começa depois de uns 15 dias e dura até o terceiro ou quarto mês. Portanto, dependendo do bebê, ele pode não chorar na primeira semana como você achava que fosse acontecer.

Se ele estiver chorando e você não souber como confortá-lo, não se descabele! Demorará um pouco para saber exatamente o que o bebê precisa e até que você consiga, confie na famosa tática do “erro e acerto”. Comece pelo básico. Será que ele está com fome ou com a fralda suja? Tente alimentá-lo ou limpá-lo. Não funcionou? Considere o conforto do bebê. Ele está com calor ou frio? Ajuste a temperatura do ambiente ou troque a roupinha. Pegue no colo, toque uma música ou coloque-o perto de algum ruído branco até que algo funcione. Tudo bem se você não conseguir “ler” o bebê como se fosse um livro logo de início. Isso é perfeitamente normal, essa fase é de aprendizado!

PEÇA AJUDA: Choro e agitação podem ser estressantes, mas saiba que o choro por si só não é algo que machuca o bebê.

E como lidar com o choro do bebê é cansativo, especialmente nas primeiras semanas, quando estará exausta e sobrecarregada, lembre-se de aceitar ajuda da mãe, sogra, irmã, cunhada, de quem for! Assim você consegue descansar um pouco.

Se o choro for incessante e você suspeitar de algo errado (agora você terá o instinto materno!), leve o bebê ao pediatra. Ele pode estar com cólicas, refluxo ou alergia a alguma proteína. Tudo é tratável!

Alimentação e evacuação

LEIA OS SINAIS DO BEBÊ: Você provavelmente se perguntará “Quanto será que devo alimentar o bebê?”. Se estiver amamentando, é bem difícil dizer, já que não temos um marcador de volume nos seios. Mas, por sorte, os bebês sabem quando estão satisfeitos. Ele parecerá sonolentamente feliz após ter sido alimentado e, nas primeiras semanas, provavelmente adormecerá por duas ou três horas assim que estiver saciado. Apenas tenha atenção, pois alguns bebês querem sugar algo, estejam com fome ou não. Se chupar uma chupeta acalma o bebê, então é porque ele não precisa se alimentar mais, quer apenas sugar.

VERIFIQUE A FRALDA: Outro indicador de que o bebê está se alimentando bem é sua evacuação. Então, contabilize as trocas de fraldas: quantas só com xixi e quantas com cocô. Pode ser, inclusive, que o pediatra peça números específicos.

Nos primeiros quatro dias, os recém-nascidos podem fazer xixi somente de duas a quatro vezes ao dia, mas, depois, esse número pode aumentar para de seis a doze.

Quanto ao cocô, o número não é tão certo assim. O bebê deve evacuar pelo menos uma vez nas primeiras 24 horas, mas se não o fizer, saiba que 98% dos bebês evacuam no segundo. A partir daí, os bebês podem sujar até cinco ou mais fraldas por dia (especialmente se você amamenta) ou ficarem até de 7 a 10 dias sem nenhuma evacuação. Isso não significa que há algo de errado, desde que o bebê não mostre sinais de desconforto. Seu bebê pode ter qualquer desses padrões e ser perfeitamente saudável! Apenas fique atenta com cocôs duros e empelotados; eles podem ser sinal de constipação.

CONHEÇA AS CORES: Nos primeiros dias do bebê, ele fará um cocô escuro, quase preto, conhecido como mecônio. O mecônio é produto de tudo que ele “comeu” enquanto estava no útero. Depois disso, para um bebê com amamentação materna exclusiva, as fezes tomarão um tom marrom mais claro antes de tornarem-se amareladas.

Independentemente de como você alimenta o bebê, o cocô pode ser amarelo, marrom ou verde, e todos são perfeitamente normais. Se estiver vermelho, preto (além daqueles dos primeiros dias) ou branco, pode ser que haja algum problema. Avise o pediatra, caso observe alguma dessas cores estranhas.

FIQUE DE OLHO NO PESO: Você já deve saber que o bebê provavelmente perderá até 10% do seu peso de nascimento nos primeiros três a sete dias, certo? Isso é normal. Ele está apenas eliminando parte dos fluídos que reteve enquanto estava no útero, além de estar queimando mais calorias agora que está livre para se movimentar. O pediatra ajudará a pesar e acompanhar o progresso do peso do bebê e alertará se o ganho ou perda de peso é algo para se preocupar.

SEJA FLEXÍVEL: Como mencionei antes, o bebê não sabe seguir um relógio. Claro que existem recém-nascidos que seguem perfeitamente uma sequencia de alimentação a cada três horas. Se o seu é assim, ótimo! Outros podem ter fome a cada duas horas, ou passar por períodos em que pedem aleitamento a cada uma hora. Considerando que alguns bebês mamam por cerca de 45 minutos, terão dias em que você terá a sensação de que a única coisa que fez foi alimentar o bebê. Totalmente normal!

Banho e umbigo

PROTEJA O CORDÃO UMBILICAL: O sistema imunológico do bebê começa a funcionar assim que o cordão umbilical é preso com o grampinho e essa é a primeira oportunidade que o corpo dele tem para cicatrizar uma ferida.

Cuide do umbigo com muito cuidado até que ele caia. Isso acontece depois de uma ou duas semanas. Mantenha-o seco e deixe a região bem arejada. Ao colocar a fralda, dobre a aba da cintura, deixando-a afastada do umbiguinho. Vista também o bebê com roupas mais folgadas na região da cintura, pois na medida em que o umbigo seca, ele pode grudar na roupinha. Se isso acontecer, coloque um pedaço de gaze seca ao redor do umbigo para proteção. Apesar de ser muito difícil haver infecção, ligue para um médico se a região ficar muito vermelha ou inchada, se sangrar, se tiver um cheiro estranho ou pus.

Mantenha o bebê saudável

CONFIRME A PRIMEIRA CONSULTA COM O PEDIATRA: Antes de deixar o hospital, já veja quando deverá levar o bebê em consulta. Se o bebê tiver risco de icterícia ou estiver perdendo muito peso, o médico do hospital certamente a aconselhará a fazer um acompanhamento nas próximas 72 horas. Bebês saudáveis normalmente são indicados a fazerem a primeira consulta pediátrica nos primeiros 6 dias de vida.

EVITE MULTIDÕES: O sistema imunológico do bebê tem muito a se desenvolver e, às vezes, uma pequena febre pode fazer com que você tenha que correr para um pronto-socorro. Por isso, nas primeiras semanas, evite lugares muito cheios de gente. Isso não significa que você tenha que ser antissocial. Nesse período, se for o caso, peça que a família e amigos venham até você em pequenos grupos ou individualmente. Peça para quem for pegar o bebê que lave as mãos antes e, se a pessoa estiver doente, educadamente reprograme a visita para depois.

Está se sentindo presa? Se o tempo estiver bom, não há problema nenhum em levar o bebê para tomar um ar fresco, dar uma pequena volta pela vizinhança, desde que ele esteja vestido adequadamente e que você possa andar por áreas mais tranquilas e sem pessoas que possam tentar tocá-lo.

FIQUE ATENTA A MUDANÇAS: Nas primeiras semanas, boa parte do seu tempo será destinado a conhecer os sinais do bebê, seus hábitos e gostos, e ninguém o conhecerá melhor do que você e o papai. Se algo fugir do seu padrão de comportamento (por exemplo, o bebê normalmente mama bastante e, de repente, não quer mais mamar), é hora de falar com o pediatra. Outros sinais de atenção: vômito, febre, tosse, diarreia, icterícia ou problemas respiratórios.

Espero que essas dicas possam te ajudar!